PROERD: um exemplo para a Nova Política de Segurança Pública

Dinâmica no encontro do PROERD

Enquanto as cenas de guerra do Rio de Janeiro ocuparam os noticiários ao longo de toda essa semana, mostrando a reação do Estado a anos de uma política de segurança pública equivocada, tive a oportunidade de conhecer um pouco melhor uma das experiências mais existosas do outro lado dessa história, onde policiais militares atuam, com eficiência, na prevenção a violência e ao uso de drogas por jovens.

No encontro da regional sul do PROERD/RS (Programa Educacional de Resistências às Drogas e a Violência), vi cenas raras: policiais sorrindo, dançando, desenvolvendo dinâmicas de grupo e discutindo como qualificar ainda mais o seu trabalho de prevenção.

Infelizmente, no velho modelo de segurança pública hegemônico no Brasil por muitas décadas, não há espaço para prevenção (sempre tratada como algo romântico), não há tempo para desenvolver relacionamentos e vínculos com a comunidade (sempre é preciso atender uma nova emergência). A maior parte do treinamento dos policiais é voltado para o confronto, rarissimos são os momentos de capacitação para o diálogo com jovens sobre violência e drogas e metodologias para a criação de vínculos com a comunidade.

Essa concepção vem mostrando sua falência dia após dia, fazendo um número cada vez maior de vítimas, especialmente entre jovens das comunidades da periferia, policiais e suas famílias, sem êxito na redução dos indicadores de violência, sensação de segurança ou consumo de drogas.

Porém, na contra-mão desse pensamento majoritário, algumas iniciativas são desenvolvidas, muitas vezes sem o devido apoio institucional ou consideradas atividades menos importantes que aquelas de “policiamento de verdade”. O conjunto de conceitos que embasam essas experiências é conhecido internacionalmente como policiamento comunitário, ou de maneira ainda mais ampla, policiamento de proximidade e serve atualmente de base para a atuação das melhores policias do mundo.

Uma dessas experiências, desenvolvida em vários estados do país é o PROERD, um Programa criado pela Polícia de Los Angeles, em 1983, a partir da conclusão de que mesmo com o endurecimento da repressão tradicional às drogas, o consumo e a violência entre jovens não parava de crescer. No Brasil, o programa chegou em 1992 e no RS em 1998. O programa desenvolve atividades curriculares, especialmente nas 4ª e 6ª série do ensino fundamental, buscando fortalecer a capacidade de tomada de decisão de crianças  e jovens e fortalecer as habilidades de mediação de conflitos, sem violência.

O PROERD/RS, coordenado atualmente pela Major Silvia, possui 529 instrutores (porém apenas 319 estão atuando) e já formou 700 mil jovens desde o seu início, sendo 54 mil apenas no primeiro semestre de 2010. Todo esse trabalho é realizado basicamente com o apoio de empresas e lideranças da sociedade e com a dedicação muitas vezes voluntária dos policiais.

No novo modelo de segurança pública, fortalecido nacionalmente pelo Pronasci e que será desenvolvido no RS através do Proesci (Programa Estadual de Segurança com Cidadania), ações como essa devem ser priorizadas e especialmente conectadas na implementação dos Territórios da Paz, para que as referências nessas comunidades sejam radicalmente modificadas e os vínculos de confiança entre polícia e os jovens sejam criados e aprofundados.

Isso é fundamental, para que outros Complexos do Alemão não se multipliquem pelas periferias do Brasil e do Rio Grande do Sul e para que o trabalho das nossas policiais seja cada vez mais eficaz na prevenção a violência.

Conheça mais sobre o Proerd.

Anúncios
Esse post foi publicado em Uncategorized e marcado , , , . Guardar link permanente.

5 respostas para PROERD: um exemplo para a Nova Política de Segurança Pública

  1. Vilma disse:

    Parabéns PRONASCI e PROESI pelo trabalho integrado. É a primeira vez que leio algo que no passado me parecia utópico e hoje uma realidade em concretização.

  2. Flávio da Silva Lopes disse:

    Este tipo de divulgação nos da força e motivação para continuarmos.
    O melhor pagamento que um policial pode receber é o reconhecimento.

  3. Cilon Freitas da Silva disse:

    Parabéns pelo belo texto. A necessidade se impõe e o PROERD é uma conquista de inúmeros Policiais que a despeito de desconfiança e falta de apoio, souberam avançar e mostrar que é possível prevenir e transformar realidades com outras mentalidades e formas de enfrentamento.
    O reconhecimento social já é imenso! Com mais apoio o Programa e os nobres Policiais que o conduzem poderão influenciar, mais ainda, para uma comunidade gaúcha tranquila e em paz social daqui a alguns anos.

  4. Ricardo Alex Hofmann disse:

    Parabéns pelo evento e pela visão do autor do texto que identifica o Proerd como uma importante política pública contra a violência.

  5. Ricardo Etcheverry Almeida disse:

    Cada vez mais o Proerd ganha força e reconhecimento, trabalho premiado no dia da formatura quando todas as crianças, professores, Pais e demais pessoas presentes tem a dimensão da grandeza do trabalho realizado. Fort abç

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s